Skip to main content

Sexta-feira 13 e seus mistérios

Voltar

Com certeza você já ouviu falar das histórias de azar associadas aos gatos pretos e ao número treze, embora se trate apenas de um animal indefeso e sem maldades e um número qualquer, vamos te contar de onde vem essa lenda.

A história do gato preto começou na Idade Média, naquela época as pessoas acreditavam que os gatos pretos, por seus hábitos noturnos e sua cor, eram bruxas transformadas em animais, por isso eram motivo de pânico e superstição entre as pessoas.

As mulheres acusadas de bruxaria eram banidas das comunidades e acabavam adotando animais abandonados e por isso os gatos pretos passaram a ser associados a feitiços e bruxarias.

Os gatos pretos são como qualquer outro felino, independentes e carinhosos e todos merecem carinho. Até hoje os gatos pretos sofrem preconceito por parte das pessoas que acreditam em lendas populares.

Algumas ONGs e protetores de animais não doam gatos pretos na Sexta-feira 13, pois infelizmente ainda existem pessoas que praticam o mal contra o animalzinho.

Por isso, nesta data é importante proteger e conscientizar as pessoas que nenhum animal traz azar e todos merecem muito amor e carinho!

 

Dicas

  • Uma das prováveis causas da maior sensibilidade à dor, também nos animais, nos dias frios é que as baixas temperaturas provocam constrição vascular e prejudicam a circulação do sangue no corpo.

    A necessidade de aquecimento da musculatura provoca uma contração que torna algumas partes do corpo mais doloridas, principalmente nas articulações dos animais mais velhos ou que tenham doenças como, por exemplo, a osteoartrite.

  • Você sabia que o focinho é como se fosse a digital de um cachorro? Cada animal da espécie possui um padrão único, o que faz o nariz de um, não ser o focinho do outro.

    A partir dessa informação, uma startup - a Megvii, lança um app capaz de identificar o seu pet. A inteligência artificial garante 95% de precisão nas buscas. Uma alternativa incrível ao uso de microchips destinados para os mesmos fins.

    Como funciona o aplicativo?

  • Um estudo realizado com pets e homens na Europa e publicado na revista European Radiology, revelou que em média, existem mais bactérias potencialmente infecciosas na barba de um homem do que na pelagem de um pet.

    Todos os homens que participaram do estudo tinham altas cargas de bactérias nos pelos faciais, mesmo apresentando condições perfeitas de saúde, enquanto 76% dos pets apresentaram bactérias em seu pelo. Foram consideradas provas de ressonâncias magnéticas nos pelos e no aparelho que realizou a coleta nos animais e nas pessoas.

  • A pesquisa realizada recentemente pela Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba, mostra que as embalagens de rações não são suficientemente esclarecedoras para os proprietários de cães e gatos.

Sexta-feira 13 e seus mistérios

Produtos