Skip to main content

Cuidados e higiene do ouvido previnem doenças e infecções

Voltar

Assim como a tosa higiênica e a escovação dos dentes, a higiene dos ouvidos merece uma atenção constante dos tutores de pets.

As orelhas são sensíveis e podem ser a porta de entrada para possíveis doenças causadas por infecções e/ou inflamações.

Ao realizar a limpeza dos ouvidos, é importante verificar se há excesso de cera, feridas ou sujeiras, o excesso de cera pode ser um indício de que há uma infecção e/ou inflamação no ouvido e neste caso o cão precisará ser tratado com medicamentos.

Embora seja uma atividade complicada – tendo em vista que alguns cães costumam ficar bastante agitados quando alguém tenta mexer nessa região, esta é uma tarefa que não pode ser ignorada. A falta de limpeza dos ouvidos pode dar origem à otite, sarna de ouvido, infecções por objetos estranhos e tornar-se inflamações mais graves.

Os cães apresentam sinais de quando seus ouvidos não estão muito bem – por exemplo, balançar muito a cabeça (como se estivesse se secando após o banho), cheiro forte vindo das orelhas, feridas ou excesso de cera na parte interna da orelha/ouvido.

Durante a limpeza, é importante ser cuidadoso para não empurrar o cerúmen. Para evitar que isso aconteça, é importante utilizar  uma solução específica para limpeza otológica e seguir as instruções recomendadas na bula do produto ou recomendadas pelo médico veterinário.  

Identificar problemas auriculares não é uma tarefa difícil e possivelmente o cão apresentará os sinais acima citados. Ao identificar um dos sinais, agende uma consulta com um médico veterinário, pois além da otite (doença muito comum), há diversas doenças e inflamações sérias que podem se desenvolver no ouvido dos cães, e somente um profissional poderá examinar e identificar a melhor solução para o seu pet.

Solução Otológica é indicada para cães na higienização do pavilhão auricular e do conduto auditivo externo, facilitando a remoção do excesso de cerúmen. Possibilita maior eficácia nos tratamentos tópicos das afecções do conduto auditivo. Consulte um médico veterinário sobre a utilização.

Dicas

  • Uma das prováveis causas da maior sensibilidade à dor, também nos animais, nos dias frios é que as baixas temperaturas provocam constrição vascular e prejudicam a circulação do sangue no corpo.

    A necessidade de aquecimento da musculatura provoca uma contração que torna algumas partes do corpo mais doloridas, principalmente nas articulações dos animais mais velhos ou que tenham doenças como, por exemplo, a osteoartrite.

  • Você sabia que o focinho é como se fosse a digital de um cachorro? Cada animal da espécie possui um padrão único, o que faz o nariz de um, não ser o focinho do outro.

    A partir dessa informação, uma startup - a Megvii, lança um app capaz de identificar o seu pet. A inteligência artificial garante 95% de precisão nas buscas. Uma alternativa incrível ao uso de microchips destinados para os mesmos fins.

    Como funciona o aplicativo?

  • Um estudo realizado com pets e homens na Europa e publicado na revista European Radiology, revelou que em média, existem mais bactérias potencialmente infecciosas na barba de um homem do que na pelagem de um pet.

    Todos os homens que participaram do estudo tinham altas cargas de bactérias nos pelos faciais, mesmo apresentando condições perfeitas de saúde, enquanto 76% dos pets apresentaram bactérias em seu pelo. Foram consideradas provas de ressonâncias magnéticas nos pelos e no aparelho que realizou a coleta nos animais e nas pessoas.

  • A pesquisa realizada recentemente pela Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba, mostra que as embalagens de rações não são suficientemente esclarecedoras para os proprietários de cães e gatos.

 A importância da higienização dos ouvidos em pets

Produtos