Skip to main content

Cachorros e chocolate: uma combinação que não combina

Voltar

A Páscoa está chegando, e todos sabem o que isso significa: ovos de chocolate!

Chocolate é uma delícia e todo mundo gosta. Porém, este doce tão querido por nós humanos pode ser um perigo para o seu pet. Cães e chocolates não são melhores amigos, tanto que uma grande dose de cacau ingerida por eles pode ser fatal.

O cacau é uma importante fonte de teobromina, uma substância alcaloide, da mesma família da cafeína. Quando ingerida pelo cão, pode provocar uma aceleração dos batimentos cardíacos e do sistema nervoso, causando distúrbios no ritmo cardíaco ou até mesmo parada cardíaca. Além disso, sintomas como diarreia, vômitos, temperatura corporal elevada ou pressão arterial baixa também podem ser observados.

Quanto maior a quantidade de chocolate ingerida, mais potencialmente fatal pode ser o envenenamento. Basta uma grama de teobromina por quilo de peso corporal para o resultado ser alarmante! Chocolates escuros contém substâncias mais nocivas para os cães do que os chocolates brancos ou ao leite; contudo, isso não significa que esses dois últimos possam ser ingeridos.

Caso o cachorro, por algum motivo, tenha comido qualquer pedaço de chocolate, não perca tempo, leve-o imediatamente à um veterinário. Infelizmente, não há antídoto para a teobromina; a única solução é induzir o reflexo do vômito no cão, na tentativa de esvaziar completamente seu estômago. Nunca tente tal procedimento por conta própria, pois isso pode ser perigoso para o cão!

O importante é manter o cachorro longe do chocolate, sob qualquer circunstância, seja dentro ou fora de casa. É importante também alertar as crianças de que não se pode alimentá-los com o doce; explique a eles os motivos de tal proibição.

Hoje em dia existem algumas empresas que fabricam “chocolate canino”; nada mais é do que um alimento que contém apenas o aroma do chocolate, sendo isento do princípio tóxico. Uma alternativa para satisfazer o cão sem colocá-lo em risco.

Vale ressaltar que, assim como para os cachorros, o chocolate também é prejudicial para os gatos. Eles costumam ser mais cautelosos com relação aos alimentos, e não se deixam seduzir facilmente por um pedaço de chocolate; no entanto, é necessária atenção por parte do tutor sim, principalmente em épocas de “maior risco”, como a Páscoa.

            

 

 

 

Dicas

  • Uma das prováveis causas da maior sensibilidade à dor, também nos animais, nos dias frios é que as baixas temperaturas provocam constrição vascular e prejudicam a circulação do sangue no corpo.

    A necessidade de aquecimento da musculatura provoca uma contração que torna algumas partes do corpo mais doloridas, principalmente nas articulações dos animais mais velhos ou que tenham doenças como, por exemplo, a osteoartrite.

  • Você sabia que o focinho é como se fosse a digital de um cachorro? Cada animal da espécie possui um padrão único, o que faz o nariz de um, não ser o focinho do outro.

    A partir dessa informação, uma startup - a Megvii, lança um app capaz de identificar o seu pet. A inteligência artificial garante 95% de precisão nas buscas. Uma alternativa incrível ao uso de microchips destinados para os mesmos fins.

    Como funciona o aplicativo?

  • Um estudo realizado com pets e homens na Europa e publicado na revista European Radiology, revelou que em média, existem mais bactérias potencialmente infecciosas na barba de um homem do que na pelagem de um pet.

    Todos os homens que participaram do estudo tinham altas cargas de bactérias nos pelos faciais, mesmo apresentando condições perfeitas de saúde, enquanto 76% dos pets apresentaram bactérias em seu pelo. Foram consideradas provas de ressonâncias magnéticas nos pelos e no aparelho que realizou a coleta nos animais e nas pessoas.

  • A pesquisa realizada recentemente pela Centro de Energia Nuclear na Agricultura (Cena), da Universidade de São Paulo (USP), em Piracicaba, mostra que as embalagens de rações não são suficientemente esclarecedoras para os proprietários de cães e gatos.

Produtos